Pular para o conteúdo

O Primeiro a Gente nunca Esquece

Matéria publicada na Tribuna de Minas, em 05 novembro de 2005.

Maria Bitarello
Repórter

Está na hora de os cinéfilos juizforanos reservarem seus lugares na fila. Nesta terça tem início a quarta edição do festival de cinema de Juiz de Fora, o Primeiro Plano. Em constante expansão, o evento soma, este ano, um total de 53 trabalhos inscritos, sendo 41 curtas-metragens em película e 13 vídeos, enviados de quase todas as regiões do Brasil. “A variedade dos trabalhos está muito grande, assim como a qualidade das produções. Vão desde comédia escrachada até reflexões mais profundas, passando por linguagens experimentais”, informa o coordenador de mídia e da mostra de vídeo do festival, Nilson Alvarenga, 33 anos.

A quarta edição não só inaugura a organização exclusiva do evento pelo Grupo Luzes da Cidade – entidade sem fins lucrativos formada por cinéfilos e produtores culturais, que visa discutir e promover a formação de um público crítico de cinema e da qual Alvarenga é coordenador financeiro -, mas também comemora o apoio da CEMIG, da Prefeitura de Juiz de Fora e da Secretaria de Estado da Cultura do Governo de Minas, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. A abertura do festival acontece na segunda, às 20h, em cerimônia restrita a convidados.

O Primeiro Plano foi criado com o intuito de disponibilizar um espaço para novos cineastas apresentarem seus trabalhos ao público, e, como o próprio nome indica, o filme deve ser o primeiro de sua carreira. “Não há restrição à participação em outros festivais, mas estes filmes estão fora do circuito comercial”, explica Alvarenga.

Além das mostras competitivas de curtas e de vídeo, avaliadas por uma comissão julgadora e pelo voto popular respectivamente, a organização do festival traz algumas novidades. Uma delas é o Cinema no Parque, com exibição de filme em telão montado no Parque Halfeld. “É chegar e sentar, bem democrático. É uma tentativa de atrair as pessoas que não têm o hábito de ir ao cinema e talvez despertar seu interesse”, diz Alvarenga. Outra conquista é a exibição de cinco longas em pré-estréias especiais, sendo uma delas “Missionários”, do juizforano Cleisson Vidal e de Andréa Prates. “A idéia é ser o primeiro filme da pessoa. No ano que vem, queremos também uma Mostra Competitiva de Longas, para fechar o festival”, adianta Alvarenga.

A vez da garotada

De segunda a sexta, acontece a Sessão Desenho, em que será exibido o filme infanto-juvenil de Flávio Migliaccio, “As aventuras com tio Maneco”. Três escolas da rede municipal e o CAIC Santa Cruz já têm suas visitas agendadas. Desenvolvido pelo Ministério da Cultura (MinC) em cidades com menos de 20 mil habitantes, em 21 estados brasileiros, o programa Revelando Brasis vai ter 40 vídeos exibidos no festival. Durante um período, o MinC realizou oficinas nestas cidades, além de disponibilizar o equipamento necessário à realização de vídeos por pessoas que nunca trabalharam com cinema. “O que aparece é um olhar mais virgem e espontâneo, e menos esquematizado com o padrão”, opina Alvarenga. Na sexta tem início a Mostra Audiovisual de Juiz de Fora, em que serão exibidas produções de cineastas locais como Alexandre Alvarenga, José Sette, Alexis Parrot, Rogério Terra, Cristiano Rodrigues, Aleques Eiterer e Marcos Pimentel, em uma espécie de retrospectiva cinematográfica. No próximo sábado, a Mostra Plano Animado vai oferecer programação voltada ao público infantil.

Os curtas serão premiados no encerramento do festival no próximo domingo, após avaliados nos quesitos melhor filme, direção, roteiro, fotografia, som, montagem, direção de arte, trilha musical, ator e atriz por uma comissão julgadora formada por Carlos Pernisa Jr., Marco Dutra, Alexandre Alvarenga e um representante da Secretaria de Estado da Cultura, além do ator e convidado especial Fernando Alves Pinto, protagonista do filme “Terra estrangeira”, de Walter Salles. Os vídeos serão eleitos pelo júri popular. Além de troféus, os vencedores levam para casa premiação em serviços, que visa incentivar a produção de novos trabalhos, como latas de negativos, horas em um estúdio de finalização, horas de locação de equipamentos de iluminação e equipamentos de vídeo.

Destaques da programação

SEGUNDA

20h – Abertura, no Espaço Unibanco Palace
Pré-estréia: “A máquina”, de João Falcão

TERÇA

Espaço Unibanco Palace
15h – Sessão Escola

17h – Competitiva de Vídeo 1

19h – Competitiva de Curtas 1
“Mina de fé”, Luciana Bezerra (RJ)
“29 polegadas”, Bernard Attal e Joselito Crispim (BA)
“Observador”, Alexandre Serafini (ES)
“O último raio de sol”, de Bruno Torres (DF)
“Fui!!!”, de Guilherme Fiúza (MG)

21h – Pré-estréia: “Dom Helder Câmara – o santo rebelde”, de Erika Bauer

Alameda Moviecom
21h – Pré-estréia: “A máquina”, de João Falcão

QUARTA

Espaço Unibanco Palace
15h – Sessão Escola

17h – Competitiva de Vídeo 2
“Comedor de carne crua”, de Pedro Salim Miranda
“O evangelho segundo São Judas Iscariotes”, de Rafael Saldanha e Raphael Salimena

19h – Competitiva de Curtas 2
“A velha e o mar”, de Petrus Cariry (CE)
“Dois tons”, de Caetano Gottardi (SP)
“Um mundo secreto”, de Guilherme Shinohara (RJ)
“ID”, de Indira Dominici (RJ)
“Sobre a maré”, de Guile Martins (RJ)
“Felicidade”, de Emerson Schmidlin (PR)

21h – Pré-estréia: “Cafuné”, de Bruno Vianna

Alameda Moviecom
21h – Pré-estréia: “Dom Helder Câmara – o santo rebelde”, de Erika Bauer

QUINTA

Espaço Unibanco Palace
15h – Sessão escola
17h – Revelando os Brasis
“Making of do projeto”
“Daqui nóis não arreda o pé”, de Jairo Teixeira dos Santos
“Delinho”, de Flávio Chiarini Pereira
“Vida”, de Eduardo Silva dos Reis
“A hora das almas”, de Luiz Antonio da Silva Cavalheiro
“Documentário sobre Chico Abelha”, de Uiara Maria Carneiro da Cunha
19h – Competitiva de Curtas 3
“Mestre Humberto”, de Rodrigo Savastano (RJ)
“O quintal dos guerrilheiros”, João Massarolo (SP)
“21 A”, de Ananda Guimarães (SP)
“Maria Morango”, de Érico Cazarré (DF)
“Seqüestramos Augusto César”, de Guilherme Campos (DF)
21h – Pré-estréia: “Missionários”, de Cleisson Vidal e Andréa Prates

Alameda Moviecom
21h – Pré-estréia: “Cafuné”, de Bruno Vianna

SEXTA

Espaço Unibanco Palace
15h – Sessão Escola
17h – Mostra audiovisual de Juiz de Fora 1
“Labirinto de pedra”, de José Sette
19h – Competitiva de Curtas 4
“Cio gasoline”, de Thiago Domingos (SP)
“Onde a noite acaba”, de Poliana Paiva (RJ)
“Homens pequenos no ocaso projetam grandes sombras”, de Tim Gerlach (RJ)
“Entre amigos”, de Márcio Viana e Rica Saito (SP)
21h – Pré-estréia: “Ódique?”, de Felipe Joffily

Alameda Moviecom
21h – Pré-estréia: “Missionários”, de Cleisson Vidal e Andréa Prates

SÁBADO

Espaço Unibanco Palace
15h – Plano animado
“Arigó”, de alunos da rede estadual de ensino de Volta Redonda (MG)
“Zen ou não zen? Eis a questão”, de 150 alunos da rede pública municipal de ensino de Vitória (ES)
“El toro de Guernica”, de Caó Cruz Alves (BA)
17h – Mostra audiovisual de Juiz de Fora 2
“Roque” – a jogada mortal, de Leo Ribeiro
“Ballet Ekilibrio”, de Alexandre Alvarenga
“Josefino é o meu nome”, de Adriano Medeiros
“Tanajura”, de Cristiano Rodrigues
“Crepúsculo”, de Alexis Parrot
“O alferes e o poeta”, de Rogério Terra Jr.
“Biografia do tempo”, de Marcos Pimentel
“Ausência”, de Aleques Eiterer
19h – Pré-estréia especial: “O cinema é o meu jardim”, de Sérgio Rezende
20h – Encerramento e premiação do festival

Alameda Moviecom
21h – Pré-estréia: “Ódique?”, de Felipe Joffily

Parque Halfeld
20h – Cinema no Parque
“Paulinho da Viola – Meu tempo é hoje”, de Izabel Jaguaribe

DOMINGO

Parque Halfeld
20h – Cinema no Parque
“Bendito fruto”, de Sérgio Goldenberg

Oficinas
De roteiro – terça, das 14h às 17h, quarta e quinta, das 9h ao meio-dia, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas
Iniciação audiovisual – quarta, quinta e sexta, das 13h às 15h, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas

– De terça a domingo. Todas as sessões são gratuitas e acontecem no Espaço Unibanco Palace, no Alameda Moviecom e no Parque Halfeld. Os ingressos devem ser retirados nas bilheterias dos cinemas. As inscrições para as oficinas de roteiro e iniciação audiovisual estão abertas até segunda, e estas serão realizadas no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (Av. Getúlio Vargas 200 – Centro). Informações sobre a programação no site www.luzesdacidade.art.br

Fonte: Tribuna de Minas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.